Escola de Ensino Prático do Idioma Yorùbá


Escola do Ensino Prático do Idioma Yorùbá

Ilé-èkó Àwíye Èdè Yorùbá

Sede: Rua Senador Salgado Filho, 2149 – Pq. Amador / Centro;

CEP 93260-141 - Esteio – RS / BRASIL.

Tel.  (5... – E-mail escola.yoruba@yahoo.com.br – Skype: julio.yoruba

 

"Se Deus criou as pessoas para serem amadas e as coisas para serem usadas, por quê será que se amam as coisas e usam-se as pessoas?" (Autor desconhecido).

 

Capítulos

Para ler os demais capítulos => 17 / 16 / 15 / 14 / 13 / 12 / 11 / 10 / 9 / 8 / 7 / 6 / 5 / 4 / 3 / 2 / 1 => click no “histórico - Arquivo”, nas => datas a direita da página inicial do blog.

Faça o seu comentário dos textos e vocabulário clicando em “comentário” no rodapé de cada capítulo.

 

         DATA: 12 / 05 / 2010.

 

Matéria realizada em quatro capítulos. Leia do capítulo 15 ao 18º. 

        

18º Capítulo [Texto]

 

17º Capítulo [Informação e Vocabulário]                                          

16º Capítulo [Informações]

15º Capítulo [Traduções - rezas]

 

Inscrições abertas.

Aberto novo grupo de alunos, para os sábados pela manhã das 09hs. às 12hs.

 

Aberto grupo de alunos, para terças-feiras e quintas-feiras à noite das 19:00hs. às 21hs.:30min.

 

Iremos, em breve, abrir grupo de alunos para os domingos pela manhã.

1. Abertas vagas limitadas, para alunos presenciais aos sábados pela manhã. (Sede da Escola / Esteio - RS). 

2. Sistema educacional virtual à distância sem limite de matrículas.  

3. Mais informações nos capítulos 6º e 11º do Blog da Escola.

Grupo fechado aos sábados das 14hs: 30min. às 18hs: 30min. 

 

1ª Parte

CONVÊNIO

Sport Club InternacionalRede Colorada de Descontos

www.internacional.com.br

Nota: Faça o curso Coloquial do Idioma Yorùbá e ganhe o desconto de 20%, isento do valor da matrícula. Não fique aí parado. Corra e se inscreva.  Seja um monitor do Idioma Yorùbá. 



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


1ª Parte

 

Comendador Julio Cezar Ferro, com personalidade religiosa (apelido religioso) “Julio Di Agónjú(Agọnjú) Sí”, sócio fundador da Escola de Ensino Prático do Idioma Yorùbá, esta, legalizada perante aos órgãos competentes do País.

O sócio fundador da Escola, ao expor apresentação na proficiência do Idioma Yorùbá e também obtendo o incentivo e apoiado pela UNESCO, tem como ousadia e propósito de resgatar a Língua Geral dos escravizados - Yorùbá, no Brasil.

Esclarecemos, que trabalhamos em sala de aula com dicionários, como também usamos livros didáticos, além disto, o apoio dos diásporas yorùbá através de consultas sobre o Idioma, bem como do gbé Ọmọ Yorùbá (Associação dos Filhos de Yorùbá), que no qual fomos aceitos como integrantes.  

 

Os novatos, que querem aprender yorùbá e aqueles que querem falar como uma segunda língua (L2). O conjunto de pessoas que se enquadram nesta categoria são os seguintes:

 

§ Africanistas (adeptos e simpatizantes) do Culto aos Òrìşà 

§ Aqueles que se casam aos cônjuges yorùbá

§ Estudantes – universitários, etc.

§ Crianças yorùbá nascidas no estrangeiro

§ Aqueles que têm interesse em falar a língua.

§ Visando à Copa do Mundo de Futebol de 2014, no Brasil. Pessoas, que desejam se qualificar para participar do Comitê (SECOPA), com o objetivo à preparação da cidade para o evento.

 

É apresentado em um formato de auto-aprendizagem. É altamente interativo. Lições de estudos e testes através de uma série de "trabalhos intelectuais”.

Porque é para iniciantes, algumas regras gramaticais básicas e ortografia são ajustadas para tornar o aprendizado mais fácil para os usuários. Esta é uma introdução à aprendizagem yorùbá que estamos realizando aos principiantes no Idioma.  

Além disso, as palavras usadas no curso, quando os alunos entrarem na sala de aula é importante prestar atenção ao uso da fonética (marca tom) das palavras.

O problema é peculiar quando o aluno enfrenta uma nova linguagem é de como deve pronunciar corretamente as palavras novas. Ser capaz de pronunciar corretamente palavras novas incentiva o aprendiz para continuar no curso.



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


2ª Parte

 

Ofensas, provocações e contestações

 

Julio Cezar Ferro // Julio Di Agónjú(Agọnjú) Sí

- Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado, às vezes, com alguns oponentes meus do ritual do Batuque e inclusive com um argentino, Bàbá (Pai). É compreensível e perdoável a ignorância dos matutos batuqueiros, bem como do escrevinhador argentino, em suas rezas (àdúrà) aos Òrìşà, mas não esqueço que minha vida foi privilegiada, pois tive uma educação diferenciada.   

 

- Ser feliz é reconhecer que vale a pena lutar pela educação e cultura de um povo religioso – adeptos, simpatizantes e africanistas do ritual do Batuque, apesar de todos os desafios e incompreensões dos insignificantes Batuqueiros, isto é, ineptos!

- Iremos vencer as dificuldades existentes e muitas delas impostas por uma súcia que deseja manobrar o povo do Batuque, buscando no estrangeiro um argentino para nos insultar.  

 

- Ser feliz é deixar de ser vítima da incultura religiosa do Batuque e se tornar esclarecido e saber o que diz na linguagem das divindades os Òrìşà, ser um autor e não coadjuvante da história do Batuque. Aos sectários ignorantes do Batuque que sejam sempre auxiliares e nunca um autor da própria história.

 

Informação - Julio Cezar Ferro // Julio Di Agónjú(Agọnjú) Sí .  

Aprendiz no Culto aos Òrìşà (Batuque) de 1962 a 1973.

Consagrado no Fon (Jeje: dialeto do grupo dialetal Fon, da Língua Ewe) / Yorùbá - Alábòójútó-Òrìşà (Zelador de Òrìşà), pelo Feitor de Vodun / Òrìşà - Bàbá Pirica Ọmọ-Agọnjú – Porto Alegre - RS, em 1978, com registro em cartório.

 

A pergunta a ser feita é: qual é a idade de vida e, religiosa mesmo dos meus oponentes?



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


3ª Parte

Item - A

Insulto ao apelido religioso - “Julio Di Agónjú(Agọnjú) Sí”.

(Apelido, que me foi outorgado por uma remanescente da servidão, descendente do povo de Ọyọ, quando tinha, apenas, doze anos de vida, em minha cidade natal).

 

Citação, parte do e-mail enviado pelo tamborileiro do Batuque, logo abaixo do nosso texto, em grafia vermelha – o texto do oponente.

Mostra-nos à falta de qualificação do argentino referente ao Idioma Yorùbá, quando ignora  ortografia das palavras escritas: Agónjú(Agọnjú), Sí; Si e Sĩ, isto é, na concepção dele são vocábulos ausentes no Idioma Yorùbá, e sim, Fon, que possui o mesmo “LA” (linhagem) dos Yorùbá, mas com a escrita e significados diferentes das palavras. Veja no vocabulário que descrevemos abaixo.  

O cidadão argentino - vendedor de “gato por lebre”. Chamado de Bàbá Osvaldo omotobatola (obalufan) pelos seus submissos sectários batuqueiros.  

Em seu texto abaixo, sutilmente, insinuou ou quis demonstrar aos sectários e simpatizantes do Batuque, que o apelido supracitado tem uma interpretação de ser afeminado ao usuário do termo Agọnjú Sí. Não somos ingênuos, sabemos muito bem o significado das palavras “vodúnsi, bem como vodúnsi-hujai” que quer dizer, em Fon – dialeto Ewe, ou seja, filha-de-santo, quando o insolente Osvaldo (argentino) deseja compará-las com a expressão do apelido supracitado.

O cidadão Osvaldo (argentino), é uma pessoa maliciosa ao fazer a união das palavras yorùbá Agọnjú+sí, para dar uma conotação de ser o usuário do apelido uma sacerdotisa, isto é, uma difamação! Ou, será que é uma imperícia idiomática? Se for difamação vamos levar avante e oferecer uma ocorrência sobre o assunto aos órgãos competentes. Trata-se: de calúnia e desrespeito a um cidadão chefe de família, com mais de sessenta anos, com seis netos, isto é, caso para Justiça, assim como por tais afrontas e provocações que vimos recebendo dos seus subalternos.

O endereço dos seus subalternos é anônimo. O covarde sempre tem por iniciativa se ocultar, ou seja, nunca dá endereços ou lugar aonde pode ser encontrado, a não ser numa tal Comunidade da ORKUT.  



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Item - B

Opinião: Afirmo, que o cidadão Bàbá Osvaldo (o argentino) é um escrevinhador, incerto do saber o Idioma Yorùbá, tenho compaixão daqueles que o seguem, bem como dos que leem e praticam suas rezas (àdúrà) aos Òrìşà. Quanto as suas obras escritas desconheço. Nas suas rezas (àdúrà) possuem verdadeiras asneiras e contradições, em Yorùbá, estão cheias de cacografia (grafias erradas de vocábulos, que não estão de acordo com o sistema ortográfico do Idioma Yorùbá). O descrito, supracitado, pode-se comprová-lo judicialmente.

 

Lamentamos ter que divulgar no Blog da Escola artigos de provocações como vem sendo narrado. Trata-se de uma pequena súcia da incultura religiosa do Batuque, que se coloca contra o desenvolvimento da cultura religiosa do Batuque, que desejamos implantar, ou seja, fazer a re-africanização da linguagem Yorùbá para um melhor entendimento do ritual do Batuque (Culto aos Òrìşà).  

 

Esclarecemos à sociedade em geral, que estamos deixando de colocar neste espaço do Blog informações importantes para aprendizagem da linguagem Yorùbá, o mesmo, tem como destino de mostrar e de investir no desenvolvimento cultural e intelectual dos cidadãos, isto é, de fazer crescer a riqueza do conhecimento.

Mas, tem um anexim que diz: A inveja é a arma do incompetente.      

Torna-se, incoerente ao objetivo do Blog, que vimos fazendo nos últimos capítulos, quando temos que estar respondendo insultos, provocações ou esclarecendo-os as dúvidas ou de questionamento de pessoas invejosas ao nosso projeto educacional.

 

O ser humano deseja respostas. Perguntas existem demais, isto nos mostra a falta do saber ou despreparo do Idioma Yorùbá dos indivíduos que praticam o Ritual do Batuque.

 

Quem não souber perdoar a nossa divulgação no Blog de erros ou equívocos praticados por terceiros e insultos está muito longe da felicidade. Não somos dono da verdade, e sim, praticamos a verdade através de documentos.

 

Determinamos, que este capítulo nº 18 será o último de respostas às provocações e ofensas que recebemos. Os próximos insultos, que aparecerem em desabono à pessoa do sócio fundador da Escola ou sobre a Escola iremos oferecer ocorrência à justiça.  

 

Pedimos desculpas aos leitores, por tais narrações, pois desejamos ser sempre transparente.



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Item - C

Leia!

O texto do argentino Bàbá Osvaldo - omotobatola (obalufan) ao tamborileiro do Batuque.

Me dices que un "tal de Agonjú Si" enseña yoruba, pues de acuerdo con lo que ví en el link que me enviaste, yo creo que no sabe yoruba, es un avivado que se compró o descargó un diccionario con palabras en yoruba y sus significados. Intenta llamar la atención, pero me queda más que claro que yoruba no sabe porque la palabra AGONJÚ (no existe) y SI, es una palabra fon, no es yoruba. "SI" se usa acompañando otras palabras fon como "vodun" o "hun", por ejemplo cuando queremos decir "iniciado en vodun" ó "filho de vodun" (vodunsi) (hunsi), también Sakpatasi (iniciado de Sakpata); Sogbosi (iniciado de Sogbo); etc.
Mezclar la palabra fon “SI” con otra palabra yoruba está mal, sería como decir "SOY FRANCÉS" mezclando una palabra en portugués con otra en otro idioma: SOU-FRENCH (en que idioma estamos hablando?)

En todo caso este ser "extraño" si entendiera yoruba sería: Omo Àgànjú.

 

Nota: Veja! A opinião do Bàbá Osvaldo omotobatola (obalufan) (o argentino).

Dicionários é algo inexeguível para o estudo de uma língua.  



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


4ª Parte

 

Vocabulário

 Item – A

Julio Di Agónjú(Agọnjú) Sí:

Julio = nome próprio.

di: prep. até.

Agọnjú (Agónjú) / [fonética – Agandjú] = n. divindade Òrìşà, cultuado na Sociedade Secreta do Ògbóni, na cidade de Ògbómòşó – Estado de Ọşun – Nigéria – África Ocidental.

No acervo da biblioteca da Escola de Ensino Prático do Idioma Yorùbá, encontramos a palavra Agọnjú (Agónjú) nas seguintes obras brasileiras:

1.        CACCIATORE, Olga Gudolle – Cultos afro-brasileiro – Dicionários, Editora Forense – Universitária. 1977. Pág. nº 41.

2.        OLIVEIRA, Altair Bento de, Cantando para os Orixás, Cantigas em yorùbá com traduções, fonética e em português – 2. ed. – Rio de Janeiro : Pallas, 1977. Pág. 96.  

3.        PORTUGAL, Fernandes, Yorùbá – A Língua dos Orixás – 4ª ed. – Rio de Janeiro de 1985. Pág. 39. Nota: Quando em seu livro o pesquisador e escritor Fernandes Portugal (Pai) expõe os fonemas no Idioma Yorùbá – ón ou ọn possui fonema no meio ou no fim da palavra de an. No seu livro, ele dá mais ênfase para o final da palavra. Ex.: àwón, àwọn (fonética: âuan): as, os. // wón (fonética: ûan): eles /elas. Como, por exemplo, na escrita da palavra Agọnjú (Agónjú), na fonética é Agandjú. Já an e un finais valem on. Ex.: yan (fonética: ion): assado. // yíyan (fonética: iíion): empoleirado.  

Reflexão: A língua escrita é um produto social e, desse modo, está em constante transformação. Em consequência, esta não é – nem poderia ser – algo concluído ou definitivo.  Exemplo na ortografia da língua escrita das palavras yorùbá:

                    Şóngò (grafia antiga) para Şàngó (grafia nova).

Agọnjú (Agónjú) => [grafia para determinar o Òrìşà, com fonética Agandjú], para ser diferenciado de outros vocábulos yorùbá, como, por exemplo:

                    aganjú 1  n.  o recesso das intimidades de um rei ou do palácio do rei.

aganjù 2 [aginjù] n. 1. selva, deserto, sertão. 2. lugar ou região despovoada; ermo. 3. quantidade atordoante ou fantástica, disposição desnorteadora.

aganjù-igbó 3 [ aginjù-igbó ] n. florestas espessas(compactas).

àgànjú: não existe nos dicionários e nem no glossário yorùbá.  

 

 

Nota 1: Prof. Fernandes Portugal. Eu, e a saudosa e amiga Maria Elaine Machado Torres fomos alunos do Professor, no início de 1978, quando recebemos sete apostilas, escrita no sistema datilografada e com carimbo da Escola, as quais, guardo como relíquia. Tenho-as como sendo o marco da perseguição do saber o Idioma Yorùbá. Também, na ocasião compramos obras suas e, continuamos adquirindo as suas obras, escritas agora com o nome Fernandez Portugal Filho.      

 

Nota 2: Prof. Fernandez Portugal Filho, somos amigos, admiradores e divulgadores de suas obras, assim como de outros escritores: prof. Antonio dos Santos Penna (Ọba Aláàiyé), Altair Bento de Oliveira (T’Ògún), etc...   



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Item - B

 

Descrevemos as palavras e seus significados, que o cidadão argentino – Bàbá Osvaldo omotobatola (obalufan) diz que não existe no Idioma Yorùbá. Conforme, em seu texto supracitado, com grafia em vermelho.  

 

Vocábulos Yorùbá

 

1 [sódò; láti]= prep. 1. para; em direção a; a, ao, à. 2. até. 3. para, a fim de. 4. em. 5. com. 6. de, da, do. 7. em honra de. 8. na, no, contra. 9. sobre, a respeito. 10. por. 11. Gram. marcador do infinitivo.

2 = a) prep. 1. ocupado com, interessado em. 2. relativo a, a respeito de, acerca de, sobre. 3. perto de, nas imediações de, junto a. 4. cerca de, próximo de. 5. em redor de, em volta de. 6. munido de, na posse de, prestes a, disposto a. 7. de um lado para o outro, aqui e ali, em, em cima de. b) prep. 1. em, no(s), na(s), perto de, sobre, junto a. 2. na direção de, para, a. 3. até, no lugar de, na condição de. 4. na situação de, em tempo determinado (agora, então). 5. através de, por meio de, por intermédio de. 6. ocupado com, em vias de, com vistas para. 7 por causa de, pela razão de, a fim de. 8. por, cada. 9. de acordo com, à vontade de, segundo, conforme. 10. por parte de, oriundo de. c) prep. 1. dentro, de fora para dentro. 2. em. 3. na direção de. 4. acerca de, a respeito de. 5. passagem de um estado para outro. 6. Gír. interessado em.

3 = vi. ser, de existir (sempre que for precedido por , ou seja, não. [Ògbéni kò sí mọ dára: O senhor não é mais vistoso.]; [kò sí = 1. não existe, não ser, não é. 2. não há. 3. não. 4. não em lugar algum, etc... => Será que esta expressão (kò sí) o argentino também vai dizer que ela é Fon!].

4 []= vi. 1. ser sobrevivente. 2. a ser sobrevivente.

si 1 = prep.  a) 1. contra, contrário. 2. em oposição a, oposto a. 3. defronte, diante. 4. em contraste com, em comparação com. 5. em contato com, junto a. 6. em preparação para, em previsão de. 7. em defesa de. b) prep.  1. para, em direção a, a, ao, à. 2. até. 3. para, a fim de. 4. em. 5. com. 6. de, da, do. 7. em honra de. 8. na, no, contra. 9. sobre, a respeito. 10. por. 11. Gram. marcador do infinitivo. c) prep. 1. em, no(s), na(s), perto de, sobre, junto a. 2. na direção de, para, a. 3. até, no lugar de, na condição de, na situação de. 4. em tempo determinado (agora, então). 5. através de, por meio de, por intermédio de. 6. ocupado com, em vias de, com vistas para.7. por causa de, pela razão de, a fim de. 8. por, cada. 9. de acordo com, à vontade de, segundo, conforme. 10. por parte de, oriundo de. d) prep. 1. dentro, de fora para dentro. 2. em. 3. na direção de. 4. acerca de, a respeito de. 5. passagem de um estado para outro. 6. Gír. interessado em. Sempre usado com um verbo de movimento para...

si 2 = conj. a) 1. e, assim como, também como. 2. e ainda, e além disso. 3. assim que, de modo que. 4. mas, contudo. 5. mais. b) adv. e conj. também, além disso, igualmente.  c) adv. e conj. 1. do mesmo modo, igualmente. 2. também, outrossim.

1 =  adv. 1. lentamente, vagarosamente. 2. tardiamente. 3. brandamente, inativamente (usado com o verbo 'rastrear' [láti tọsè tọsẹ] = arrastar[láti fa; fà; wó; falè).

=  a) adv. 1. durante. 2. por longo tempo. 3. longamente. 4. a grande distância. b) adv. pouco tempo, por algum tempo. c) adv. por algum tempo. / [O şe ọ sĩ: Você fica muito tempo].

Tudo o que está escrito, supracitado, pode-se documentar através dos dicionários oficiais do Grupo Étnico dos estados Yorùbá – Nigéria – África Ocidental.

 

Ex.: Julio Di Agónjú(Agọnjú) Sí =>a) Tradução:  Julio até Agónjú a ser o sobrevivente.

                                                                    b) Tradução: Julio até Agónjú de ser / existir.

                                                                   

Temos consciência que o aluno é o coração da Escola, por isso estamos dispostos a lhe atender da melhor maneira possível, orientando quanto ao uso das palavras, suas finalidades e esclarecendo qualquer dúvida que possa surgir.  

Faça o curso. Ele irá fazer enriquecer o seu conhecimento.  

Esperamos sinceramente que você aprecie e aceite este nosso convite.

Faça a diferença.

Não fique aí parado. Corra e se inscreva.



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Item – C

 

Vocábulos Yorùbá

(palavras isoladas para o conhecimento).

 

abímbóla = n. pessoa especialista em língua, na linguagem Yorùbá.

ẹléda = n. Criador, o Ser Supremo.  

ẹlé[adèdà, aşowó] = n. cunhador de moedas, fabricante de moedas falsas.

ẹlédè = a) n. 1. porco. 2. leitão, bácoro. 3. joc. carne de porco. 4. Coloc. glutão. 5. Coloc. porcalhão. 6. ferro gusa. 7. lingote de metal. 8. Gír., pej. tira (policial). b) n. pl. 1. porco, suíno. 2. pessoa suja ou desprezível.

ẹlégbára = n. deus do mal, o próprio Satanás.

ẹlégbéra [Èşù: palavra de origem hebraica] = n. 1. Diabo, Demônio, Satã, Satanás, Gênio do mal, Belzebu, Anjo Decaído, Espírito das Trevas. 2. pessoa má, malvada, perversa, cruel, espírito maligno. 3. homem ou espírito cruel: destemido, audaz, enérgico, intrépido, esperto. 4. palavra expletiva, interjeição (o diabo!).

kò sí = 1. não existe. 2. não há. 3. não. 4. em lugar algum, etc...   

lòdì sí = vt. ser contrária(o), a contradição.  

mọgbà [magbà]= n. um sacerdote (padre, presbítero) do Òrìşà Şàngó.  

olódi [ògiri-ilé, ògiri, ìgànnán] = adj. paredes, murado, cercado de paredes.

olódì  [odì, ò] = n. inimigo, adversário, antagonista, oponente.

olórí [olóri] = a) n. 1. cabeça (de uma organização). b) n. 1. condutor, guia. 2. líder, chefe, comandante. c) n. chefe principal; chefe de um conjunto.

olorì = n. 1. esposa de uma pessoa importante. 2. esposa de um grande homem. [olorì ọba: a rainha].  

olóde [şòpònná] = n. varíola. // lóde = adv. do lado de fora, fora, para fora. [Bara ó lóde = Bara, ele do lado de fora]. Veja! Nas rezas do argentino Bàbá Osvaldo, quando coloca na reza do Bara a expressão “Èşù Olóde!” = Èşù(diabo) varíola.

ònãre o! = interj. adeus, despedida! Felicidades! [ònãre o (Òrìşà tal...)].

ọta =  a) n. tiro, distância de tiro. // b) n. 1. bala (de arma de fogo), projétil. 2. bola pequena. // c) n. 1. Milit. cartucho. 2. Fot. rolo de filmes. 3. Inf. cartucho. 4. a parte do braço de um toca-discos que segura a agulha e pode ser retirada. 5. carga de caneta esferográfica. // c) n. 1. Fís., Quim. átomo. 2. partícula diminuta, coisa minúscula. // d) [ọta-ìbọn]: n. 1. bala (de arma de fogo), projétil. 2. bola pequena. // e) [òkúta]: n. 1. pedra, rocha, rochedo. 2. pedaço de rocha, pedregulho, seixo, calhau. 3. pedra trabalhada, lápide, laje, túmulo. 4. rebolo, pedra de afiar. 5. Med. cálculo. 6. pedra preciosa, jóia, gema. 7. caroço, semente dura. 8. Br. (pl inalterado) unidade de peso correspondente a 14. libras. 9. paralelepípedo. 10. granizo. // f) ọta àpàjá: n. Astron. meteorito, aerólito.

 

òta = n. 1. um atirador perito. 2. n. atirador, o que atira.

òtá = n. inimigo, adversário, antagonista, oponente.

 

Nota: a incoerência nos àdúrà (rezas) do argentino Osvaldo, em confundir: Èşù com a divindade Òrìşà Bara. Citamos a  Frase: Èşù ni òtá sí Òrìşà. (O Diabo é inimigo, adversário, antagonista, oponente aos Òrìşà). Fonte: a frase também consta no Livro – Cânticos dos Orixás na África – Sikírù Sàlámì (King)- ed. Oduduwa, pág. nº 25, Oríkì Èşù. [Èşù òtá Òrìşà. Tradução: Èşù, o inimigo dos orixás]. Reparo: erro de digitação no livro, ou seja, a falta do acento agudo(´ ) na vogal (a) na palavra òta, a ser a palavra => òtá e não òta, bem como ọta.  Nota: a palavra ọta, supracitada, na nossa opinião não se encaixa no contexto da frase.

A pergunta a ser feito é: no Batuque cultuamos as divindades Òrìşà ou ao Diabo?  

As pessoas perderam suas raízes linguística, a re-africanização da linguagem Yorùbá é algo necessário para sabermos o que estamos dizendo às divindades os Òrìşà.

 

Tudo o que está escrito, supracitado, pode-se documentar através dos dicionários oficiais do Grupo Étnico dos estados Yorùbá – Nigéria – África Ocidental.

 

Continua o texto, no textual dos capítulos: 17 / 16 / 15.



Escrito por com. Julio Cezar Ferro às 15h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis